Tudo acontece em Brasília
Governo gaúcho conhece gestão de riscos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF

Governo gaúcho conhece gestão de riscos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF

Ver Original

Uma representação da Secretaria de Planejamento do Rio Grande do Sul (Seplag/RS) visitou nesta quinta-feira (22) a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF (SDE) para conhecer, na prática, o modelo adotado pelo órgão para reduzir erros e imprecisões no cotidiano de trabalho. A visita complementou o contato que a Seplag/RS teve na Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), momentos antes, com a teoria do programa de gestão de riscos na administração pública.

A SDE inaugurou recentemente o programa de gestão de riscos e contou com o apoio da CGDF para elaboração de todo o processo, iniciado em 2018. De acordo com o diretor de Auditoria de Integridade e Riscos da CGDF, Robson Lopes, o modelo da secretaria foi um “case” de sucesso.

“A impressão que tivemos foi bastante positiva e a participação dos grupos de trabalho foi muito satisfatória. Temos outros casos de sucesso, mas a gente enxerga que a SDE será a primeira unidade a terminar programa de integridade”, adiantou.

Representante do Rio Grande do Sul na atividade, a assessora de gabinete da Seplag/RS, Joseane Toebe, disse que a gestão de riscos na administração pública é algo novo e aponta para um horizonte promissor.

“Precisamos enxergar nosso trabalho como uma missão de governo para a comunidade e entregar um resultado econômico melhor para que as futuras gerações possam se desenvolver. Nesse sentido, a gestão de riscos é fundamental”, explicou a servidora gaúcha.

Gestão de Riscos

A gestão de riscos é o processo que envolve as ações destinadas a controlar os riscos de uma organização, neutralizando o seu impacto ou reduzindo sua chance de ocorrência.

Tal metodologia possibilita aos gestores diminuir as incertezas na tomada de decisões, mitigando os riscos e potencializando as oportunidades a elas associadas, a fim de controlar impactos e obter qualidade no gasto público, por exemplo.

A ideia do programa surgiu pela primeira vez na administração pública por meio do Decreto 37.302, de abril de 2016, que estabeleceu os modelos de boas práticas em gestão de riscos e controle interno a serem adotados no Distrito Federal. Mais recentemente, o Decreto 39.736, de março 2019, instituiu a Política de Governança Pública e Compliance e, novamente, reforçou a importância do sistema de gestão de riscos nos órgãos públicos.

 

* Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico