Notícia Voltar

Conselho Tutelar do Itapoã conta com nova sede
Sétima a passar por reforma desde 2015, unidade na Quadra 378 foi ampliada a pedido dos conselheiros para melhorar condições de atendimento. Inauguração ocorreu na manhã desta terça (14)

Publicidade
LARISSA SARMENTO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

Inaugurada nesta terça-feira (14), a nova sede do Conselho Tutelar do Itapoã conta agora com salas de atendimento individualizadas para cada conselheiro, sala de reunião e uma brinquedoteca.

A mudança de endereço foi uma reivindicação dos conselheiros locais, que antes não dispunham de espaço adequado para atender a comunidade.

O prédio abrigava o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da cidade e foi doado pelo órgão judiciário à Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude em maio deste ano.

A pasta reformou o ambiente para ficar dentro dos padrões definidos pelo Ministério dos Direitos Humanos. A reforma custou cerca de R$ 150 mil, verba da própria secretaria. Na antiga sede, que ficava na Quadra 1 da região administrativa, o conselho tutelar gastava R$ 5 mil mensais de aluguel.

“Acreditamos que isso vai ser um avanço para a comunidade e para as crianças, que, ao chegarem aqui, serão mais bem atendidas”, destacou o secretário de Políticas para Crianças, Aurélio Araújo.

Ele ressaltou ainda que esse atendimento tem como foco a criança e o adolescente, mas acaba ajudando as famílias a acessarem o Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), o Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e toda a rede de serviços públicos.

Brasília tem 40 conselhos tutelares. Neste ano, já foram reformados ou ganharam novas sedes os de São Sebastião, Taguatinga Sul, Brazlândia, Riacho Fundo I, Fercal e Varjão. Ainda estão em fase de reforma o de Samambaia, o de Santa Maria Sul e o de Ceilândia 4.

Segundo o conselheiro José Lineu de Freitas, que atua há 8 anos no Itapoã, o endereço anterior não oferecia condições de trabalho, pois cinco colegas dividiam uma única sala, o que comprometia a privacidade dos usuários do serviço.

“Os assuntos trazidos são restritos, não são compartilhados com terceiros. Chegam vários tipos de casos, desde falta de escola até abusos”, explicou Freitas.

Ele ressaltou que o conselho tutelar é a porta de entrada para outros órgãos. “Recebemos a demanda de forma simplificada e a transformamos em oficial, técnica.”

De acordo com as análises trimestrais da Secretaria de Políticas para Crianças, de abril a junho deste ano, o Conselho Tutelar do Itapoã recebeu 104 denúncias. Os números do último trimestre ainda são apurados.

“Buscar ajuda sozinha é mais complicado, com o auxílio do conselheiro fica mais rápido”, relatou Eyanna Magalhães de Souza, de 32 anos, que estava com o filho Geanderson de Souza, de 1 ano.

As reformas dos conselhos tutelares integram o Criança Candanga, programa do governo de Brasília que visa dar prioridade a políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência.


EDIÇÃO: RAQUEL FLORES

Fonte: AgênciaBrasilia

Acesso Rápido

Mais Lidas da Semana